quinta-feira, julho 16, 2009

A Bruxa

Impuseram-me a fogueira:
Disseram-me suja, sombria, feiticeira.

Incendiaram-me o sexo
E eu estou morrendo:
Mas é de vida que eu morro,
Eu sofro mas sofro ardendo!

No fogo sofre, morre e arde
A mulher que não é covarde;
A mulher que não inventa o espírito
Para justificar a carne.

3 comentários:

Anônimo disse...

tu estás mais para feiticeira do que p/ bruxa...

Fred Delgado disse...

"A mulher que não inventa o espírito
Para justificar a carne."

Muito bom. :]

Igualmente bom é o "tornando cheio o vazio que fica".

Tu é foda mesmo. :**

Lara Cardoso disse...

do muito tempo que não vinha até aqui, gostei de todos que li, mas amei muito esse.
muito forte e verdadeiro.