sexta-feira, janeiro 11, 2008

Incêndio

Quando estive presa
na torre mais alta
do castelo da bruxa má,
o homenzinho louro
quis, gentilmente,
salvar-me.
Trouxe-me pedras raras,
contou-me suas histórias de valência,
falou-me cor-de-rosa
sobre o mundo desconhecido,
beijou-me a testa cautelosamente.
Fez-se príncipe lindo para mim
- logo para mim que,
não sabia ele,
cultivava o desgosto pelo belo
desde quando se perdeu minha coroa
nas tantas noites,
genuinamente prazerosas,
que tive com o dragão mau e feio,
mas cujas narinas incendiariam o país.

Um comentário:

Biagio Pecorelli disse...

um incêncendio no lindo mundo fabular, fantástico... um dia, comeremos, eu e você e quem mais tiver dessa fome, esse dragão assado ao molho de amor perdido.

bonito.

obrigado pelas visitas, pessoa. Mas veja que meu espacinho está descansando... É tempo de renascimento, estou prenha e solteira, não sei quem é o pai e morro de medo de parir um gato preto.

beijo em ti